Syd Paradyne, tira da série B, barba de dois dias, alcoólatra, investiga o suicídio de um obeso. O sol não aparece há muito, muito tempo. A corrupção reina. Aparece uma garota linda e estigmatizada. Blue tem os olhos azul-metálicos e segredos inconfessáveis: é uma possibilidade de amor em um mundo sem esperanças.

Nessa sátira a uma sociedade utópica baseada na premissa da felicidade obrigatória, em uma atmosfera de policial noir, Lolita Pille faz referências a pesos-pesados da ficção científica, como George Orwell; Aldous Huxley; William Gibson, o fundador do cyberpunk, e Philip K. Dick, autor de Do Androids Dream of Electric Sheep, o livro que inspirou o filme Blade Runner.

Cidade da penumbra é um retrato muito bem-acabado do consumismo e do endividamento bancário, do uso indiscriminado de remédios e drogas e da ditadura da felicidade a qualquer preço. Ao lidar com esses temas que já assombram o presente, a autora cria polêmica e aborda o totalitarismo, o racismo, a desinformação, a vigilância big brother, as cibertecnologias e assim, mais uma vez, desafia convenções.
Lolita Pille, escritora francesa nascida em 1982, em Sèvres, formada em literatura, é autora de Hell Paris 75016, que chegou às listas de best-sellers no Brasil, e de Bubble Gum, ambos publicados pela Intrínseca.

Cidade da Penumbra

R$32.00Preço
  • Autor: PILLE, Lolita
    ISBN: 978-85-98078-96-0
    Editora: Intrínseca
    Ano: 2010
    Páginas: 304